Hyundai Tucson/Jeep Compass/Suzuki Grand Vitara/Toyota RAV4

Da América chega-nos hoje um pequeno SUV, de nome próprio Compass, que traz consigo o peso do apelido: Jeep. A tradição que carrega torna obrigatório um confronto com as principais propostas do segmento. O Toyota RAV4, que se tem imposto como a referência, o Suzuki Grand Vitara, o mais dotado para desbravar caminho fora da estrada, e o Hyundai Tucson, em defesa dos SUV oriundos da península coreana, os mais acessíveis do mercado.

Para vingar no domínio europeu, o pequeno Jeep, cuja plataforma partilha com o «primo» Dodge Caliber (já aqui ensaiado), traz sob o capot um motor Diesel, tendo-se munido de um comprovado bloco de dois litros que não o deixasse ficar atrás da concorrência. Assim sendo, o 2.0 CRD que o motoriza é, no fundo, um 2.0 TDI de 140cv, emprestado pela Volkswagen. Em Portugal, o Compass existe numa variante base, a Sport (34 800 euros) e no nível Limited hoje alvo da nossa atenção que, por mil euros, adiciona ao recheio: bancos em pele aquecidos, jantes em liga leve de 18 polegadas e vidros traseiros escurecidos.

O Suzuki faz-se valer de um motor 1.9 com 129 cv proveniente da Renault, e já o Rav4 surge com a variante de acesso do bloco 2.2 D-4D que conta, ainda assim, com 135 cv, existindo também na mais possante variante de 177cv. O Hyundai, cujo ADN partilha com o «primo» Kia Sportage, faz-se valer do motor 2.0 CRDi com 140cv. Neste nível Style traz também uma lista de equipamento generosa.

Todo o terreno de cidade

Pela cidade, Toyota e Jeep deixam-se levar como se de um automóvel «normal» se tratassem, benesse concedida por comandos ágeis, leves e fáceis de utilizar. O Tucson também é desembaraçado mas os comandos são menos precisos, sendo a caixa até pouco agradável a manusear. Já o Suzuki impõe uma locomoção típica de um verdadeiro todo o terreno, sendo a acção algo brusca e menos pacífica de um modo geral, muito por culpa da caixa com sincronização demasiado lenta, ainda assim não é nada que com o hábito não se aprenda a dominar. Dos quatro é o único que mantém a tracção integral permanente e oferece a destreza possibilitada pelas redutoras. Os restantes também permitem bloquear a repartição em 50/50 mas, regra geral, são sempre as rodas da frente que puxam, havendo passagem de força em «real time» através de uma embraiagem de discos múltiplos com comando electrónico, para o eixo traseiro, quando tal é imperativo.

Na forma como poupam, de forma «educada», os passageiros das calçadas lusas vigentes nas cidades mais antigas, Rav4 e Compass mostram-se muito corteses. O Grand Vitara também não desilude mas é de facto mais firme e menos preocupado com o bem-estar. O Tucson até esboça uma tentativa de filtrar, com uma taragem branda, mas o seu trabalho não produz o melhor resultado quando confrontado com ressaltos. Como óbice revela ainda o facto de ter uns bancos um pouco rijos.

O que denota ser mais enérgico é o Jeep, que dos 0 aos 100 km/h despende apenas 10 segundos. Mas tanto o Toyota como o Suzuki oferecem boa réplica, anulando a hipotética desvantagem da fisionomia SUV e mostrando agilidade. O Grand Vitara é mesmo o melhor nas retomas. O Tucson não desilude e até é ágil, mas fica aquém dos outros três.

Na vontade que expressam em visitar de novo o mecânico da marca, o Jeep e o Suzuki são os mais ansiosos, esperando apenas 15 mil quilómetros de «prova». O Toyota só pede a vistoria geral aos 30 mil, mas pelo mesma altura que o Compass e o Grand Vitara requer a mudança de óleo. O Hyundai dirige-se à assistência aos 20 mil quilómetros.

Na ânsia de regressar à estação de serviço, o Tucson excede-se um pouco e em cidade não evita uma gula que não se queda por menos de 11 litros de refeição. O Grand Vitara é contido q.b. e já o Jeep e o Rav4 revelam-se passíveis de uma dieta poupada.

Partilhar

Comentários

2 Comentários

  1. Manuel Gaspar on

    Adquiri á uma semana, um Suzuki Grand vitara 1.9 DDIS 3 portas de 2007,com 80000Km, tem as revisões em dia mas faz consumos exageradamente altos, cerca de 12L aos 100Km, tanto em AE como em percursos citadinos,nunca fez TT. Gostava de saber qual era o problemaAtenciosamente Manuel Gaspar

  2. Manuel Gaspar on

    Adquiri á uma semana, um Suzuki Grand vitara 1.9 DDIS 3 portas de 2007,com 80000Km, tem as revisões em dia mas faz consumos exageradamente altos, cerca de 12L aos 100Km, tanto em AE como em percursos citadinos,nunca fez TT. Gostava de saber qual era o problemaAtenciosamente Manuel Gaspar