Diretor da Renault justifica saída: «Ter duas visões diferentes atrasa a equipa»

A saída de Fédéric Vasseur da Renault foi comunicada nesta quarta-feira pela equipa francesa referindo que foi por «mútuo acordo», mas sem se saber ainda as razões da separação. O diretor demissionário veio agora explicar que tomou a decisão há uma semana por haver «várias visões» na equipa e que isso «atrasa» o trabalho a fazer.

«Há muitas visões diferentes na direção da equipa, por isso, nesta fase, faz sentido que eu saia», afirmou Vasseur ao «Motorsport.com» concretizando as suas razões: «Se queremos ter desempeno na F1 precisamos de ter um líder na equipa e um único caminho. Se temos duas visões diferentes, então o resultado é que o trabalho dentro da equipa é lento.»

Vasseur contou que logo após o final da temporada 2016 começaram as conversações sobre a época 2017 no sentido de estabelecer a melhor organização para este ano e explicou que não ficou satisfeito com os compromissos alcançados: «Tirei duas semanas de folga e tomei a decisão na primeira semana de janeiro. É muito melhor sair agora.»

O francês assume a «frustração» de se «estar a construir as fundações de uma casa e parar depois do primeiro metro». «Mas está tudo bem. Tomei a minha decisão», frisou Vasseur acreditando o sucesso após a sua saída: «O objetivo é estar no top cinco.» «Isso é realista porque agora as fundações são fortes.»

«Temos novos elementos a juntarem-se à equipa com boa experiência e este vai ser o primeiro carro desenhado para o motor Renault. O motor também está a registar uma boa evolução. Tudo está a andar», garantiu Vasseur.

Partilhar

Comentários

Comments are closed.