GP de Espanha: Mercedes de Hamilton foi inalcançável

  • Redação Autoportal
Lewis Hamilton (Reuters)
Lewis Hamilton (Reuters)

Lewis Hamilton venceu o GP de Espanha de Fórmula 1 deste domingo e reforçou a liderança do Mundial de Pilotos. A Mercedes fez a primeira dobradinha com o segundo lugar de Valtteri Bottas e subiu ao primeiro lugar da tabela dos Construtores.

Esta é a história resumida da quinta prova do calendário, que acabou por não ter muito mais para contar... Max Verstappen (Red Bull) conseguiu o primeiro pódio da temporada; à beira do qual ficou o Ferrari do vice-líder do Mundial, Sebastian Vettel.

A curta história do cruzeiro de Hamilton pelo Circuito de Barcelona-Catalunha culminou o domínio da mercedes durante o fim de semana; que até começou a ser contestado no início...

Os Flecha de Prata partiam da primeira linha da grelha e se o campeão do mundo segurou a pole-position partindo para uma liderança incontestada, Vettel surpreendeu Botas no arranque e tomou o segundo lugar.

Os prenúncios de uma corrida emotiva aumentaram com um choque triplo envolvendo o Haas de Romain Grosjean, o Renault de Nico Hulkenberg e o Toro Rosso de Pierre Gasly – acabando todos logo ali a Corrida.

Mas a entrada do Safety Car não trouxe muitas mais alterações. Hamilton retomou o seu curso inalcançável e nem a expetativa das trocas de pneus após a partida com os macios alterou o quadro.As opções acabaram por ser apenas uma troca – com exceção para Vettel, mais tarde – e para o composto mais duro à disposição: os médios.

Com Bottas e Vettel já com médios. Hamilton esperou. Kimi Raikkonen nem teve mais tempo. Depois de ter tricado de motor no fim de semana, o Ferrari do finlandês cedeu outra vez ainda antes de metade da Corrida. O inglês da Mercedes fez a sua troca sem qualquer problema para a sua liderança. E seguiu em modo de cruzeiro para o triunfo.

A 25 voltas do fim, o abandono de Esteban Ocon motivou um Safety Car Virtual que poderia ser um fator de agitação na ordem vigente. Mas acabou por funcionar apenas ao contrário para Vettel.

O Ferrari apostou numa segunda troca para os mesmos médios, mas o alemão acabou por deixar a segunda posição que ocupava não ganhando o que quer que fosse, mas, pelo contrário, descendo para o quarto lugar onde acabaria.

O Filme da Corrida

Classificação do GP de Espanha de F1:

Classificação do Mundial de Pilotos:

Classificação do Mundial de Construtores:

1.º Mercedes, 153 pontos

2.º Ferrari, 126

3.º Red Bull, 80

4.º Renault, 41

5.º McLaren, 40

6.º Haas, 19

7.º Force India, 18

8.º Toro Rosso, 13

9.º Sauber, 11

10.º Williams, 4

Comentários

Veja mais