“Penalizar Grosjean é dar-lhe um pontapé na cara quando ele está de joelhos”

  • Redação Autoportal
Romain Grosjean (Reuters)
Romain Grosjean (Reuters)

A reação da Haas à penalização imposta a Romain Grosjean por causa do acidente do piloto francês na primeira volta do GP de Espanha foi comparada pela diretor da equipa como estar a bater em quem já está indefeso.

“É dar um pontapé na cara do tipo quando ele está de joelhos”, foram as palavras utilizadas por Guenther Steiner segundo escreve o «F1.com» depois de o diretor da Haas ter tomado conhecimento da penalização.

Grosjean despistou-se na primeira volta da Corrida deste domingo atravessando a pista e levando o Renault de Nico Hulkenberg e o Toro Rosso de Pierre Gasly a embaterem-lhe ficando os três fora de prova logo ali.

O francês foi castigado com três lugares de penalização na grela de partida para o GP do Mónaco e com dois pontos na licença.

Hulkenberg afirmou que Grosjean tem de “trabalhar o seu comportamento”, mas Steiner contrapõe que o seu francês “tentou sair da frente” dos carros. “Ele tentou atravessar a pista para sair da frente e acertou em dois”, explicou o diretor da Haas contando o que o piloto afirmou: “Eu tinha uma decisão para tomar: ficou parado ou atravesso.

“Ele atravessou e atirou dois para fora. Se tivesse ficado parado, talvez tivesse atirado cinco para fora, não sabemos”, afirmou Steiner: “Faça-se o que se fizer, estar no meio da pista nunca é uma boa posição.”

O diretor da Haas considera que o episódio é um “incidente” de corrida e que Grosjean está numa posição fragilizada: “Neste altura, a sua reputação não é a mais alta para fazer coisas que não devia, por isso, se calhar ele é um alvo fácil.”

VEJA TAMBÉM:

Comentários

Veja mais