Mercado «estragado» deixa Félix da Costa sem lugar nas 24 Horas de Le Mans

António Félix da Costa não conseguiu ter um lugar nas 24 Horas de Le Mans na categoria LMP2 e o piloto português considera que essa oportunidade não se concretizou devido às caraterísticas de um mercado que está nesta altura «um bocado estragado».

«O mercado da LMP2 não está bom neste momento. Está um bocado estragado porque os piloto prata são o fator que mais domina lá e não é interessante para as equipas ter um piloto platina», afirmou Félix da Costa para a NBC.

Membro da equipa da Amlin Andretti na Fórmula E e piloto de desenvolvimento da BMW no GTE para 2018, Félix da Costa participará nas 24 Horas de Nurburgring, mas não conseguiu o lugar em Le Mans porque explica que os categorizados com a platina, como é o seu caso, já têm de pagar para ter um lugar.

«Eu adoraria corrê-las para ganhar alguma experiência, mas as equipas estão a cobrar dinheiro pelos lugares. Todos os pilotos ouro e platina estão a pagar para estar lá, os prata estão a pagar para estar lá. O mercado não está grande coisa», afirmou.

Mesmo assim, Félix da Costa acredita que o seu trabalho deste ano poderá conseguir-lhe os frutos desejados para 2018: «Estou certo de que se fizesse Le Mans neste ano ajudar-me-ia a ter uma pequena vantagem para ter o lugar no próximo ano. Essa é uma das razões porque também queria fazê-las. Mas estou muito envolvido no desenvolvimento do novo carro. Pode ser que consiga estar por aí.»

Partilhar

Comentários

Comments are closed.